Ensino » Artigos

Os benefícios da dança

por Patricia Mirico Aronis, Psicóloga, Especialista em Psicoterapia de Orientação Analítica; e Clarice Kern Ruaro, Psicoterapeuta pelo IEPP e especializanda em Avaliação Psicológica pela Ufrgs.

Desde que nasce, a criança veicula através do seu corpo sentimentos e sensações, e é pelos seus sentidos que conhece e se comunica com o mundo exterior. A possibilidade de expansão da sua linguagem corporal vai aumentando gradativamente com o seu crescimento físico, motor e neurológico, promovendo, em cada etapa do desenvolvimento, novas aquisições. Entretanto, a prática de certas atividades físicas, em especial a dança, pode potencializar estes processos desenvolvimentais em ascensão, tais como a coordenação motora e a consciência corporal. A dança desenvolve estímulos táteis, visuais, auditivos, afetivos, cognitivos e motores, além de favorecer aspectos como a criatividade, musicalidade, socialização e conhecimento da dança em si. Pode-se dizer que a dança na vida da criança não é mais valorizada somente como formação artística, e sim que ela faz parte do seu desenvolvimento como um todo, com o outro e com seu meio. Isso porque o conhecimento e exploração do próprio corpo facilitam a consciência de suas necessidades, habilidades, sensações, possibilidades expressivas e também dos seus limites, constituindo uma base sadia para o desenvolvimento psicossocial infantil.

É durante a fase pré-escolar que podemos encontrar os maiores benefícios da ação pedagógica da dança, justamente por ser o momento da formação de importantes habilidades. Observa-se nas crianças que dançam maior capacidade de concentração, formação do senso de confiança física e mental, boa postura, habilidade corporal e o apreço por outras formas de arte. A dança é uma atividade que se trabalha em grupo, e por isso facilita os relacionamentos interpessoais e os processos de socialização, aumentando o senso de responsabilidade, podendo deixar a criança mais extrovertida e desinibida. Todas essas aquisições tendem a auxiliar inclusive no processo de alfabetização.

Na esfera afetiva, por contar com recursos simbólicos e lúdicos, a dança pode ajudar tanto os pequenos como os adolescentes a manejar com tensões psíquicas, extravasando-as através do movimento corporal e exprimindo seus sentimentos de um modo criativo. Desta forma, elas exploram a si mesmas e adquirem maior domínio sobre seus corpos e, consequentemente, sobre suas ações, pensamentos e sentimentos. Por tudo isso, a prática regular de qualquer modalidade de dança auxilia no desenvolvimento destas importantes habilidades em crianças, adolescentes, e inclusive nos adultos, já que todos seus potenciais benefícios se traduzem em aumento do bem estar e da auto-estima, tão indispensáveis em qualquer momento da vida.